Revista Reformador

Matéria e antimatéria

Marta Antunes Moura
martaantunes@febnet.org.br

Resumo

Conceitos científicos e espíritas de matéria, antimatéria e universos paralelos. Significados de dimensão física e extrafísica. Comparação entre partículas e antipartículas físicas e entre partículas e antipartículas psíquicas.

Palavras-chave

Matéria; antimatéria; dimensões física e espiritual; partículas psíquicas; níveis ou planos de atuação do homem e dos demais seres vivos.

Para o Espiritismo, a vida transcorre em diferentes dimensões; a física e a espiritual.

A dimensão espiritual é a preexistente e dá origem à física. Em cada dimensão há, por sua vez, diferentes planos ou níveis existenciais nos quais atuam o ser humano e demais seres vivos da Criação.

Alguns filósofos da Antiguidade, como Tales de Mileto (624/625–556/557 a.C.), Anaxímenes (588–524 a.C.), Heráclito (540–470) a.C.) e Empédocles de Agrigento (495/490–435/430 a.C.) admitiam, respectivamente, que a matéria do plano físico se originou de quatro elementos fundamentais: água, ar, fogo e terra. Contudo, esses quatros elementos estruturais seriam, na verdade, produtos do elemento material criado por Deus, da mesma forma que o Espírito é formado a partir do elemento espiritual.

Em O livro dos espíritos consta que todos os corpos e seres vivos existentes no Universo tiveram origem em dois elementos gerais do Universo: matéria (ou princípio material) e espírito (ou princípio inteligente).¹ Para o Espiritismo há, pois, dois elementos gerais construtores do que há no Universo: matéria e espírito “[…] e, acima de tudo Deus, o Criador, o Pai de todas as coisas. Esses três elementos constituem o princípio de tudo o que existe, a trindade universal […]”.²

A matéria

Após a Criação Divina dos princípios material e inteligente, o passo seguinte foi uni-los entre si, a fim de que ocorresse a diversificação dos seres inertes e vivos existentes no Universo, segundo as condições e destinações dos mundos. Essa união foi intermediada pelo fluido cósmico universal, também conhecido como matéria cósmica primitiva, como explicam os Espíritos Superiores:

“[…] Mas ao elemento material é preciso juntar o fluido universal, que desempenha o papel de intermediário entre o espírito [princípio inteligente] e a matéria propriamente dita, muito grosseira para que o espírito possa exercer alguma ação sobre ela. Embora, sob certo ponto de vista, se possa classificar o fluido universal como elemento material, ele se distingue deste por propriedades especiais. […] Está colocado entre o espírito e a matéria; é fluido, como matéria é matéria, e suscetível, pelas suas inúmeras combinações com esta e sob a ação do espírito, de produzir a infinita variedade das coisas […].”³

O Espírito André Luiz denomina o fluido cósmico universal como “[…] plasma divino, hausto do Criador ou força-nervosa do Todo-Sábio”⁴ e acrescenta: “Nesse elemento primordial, vibram e vivem constelações e sois, mundos e seres, como peixes no oceano”.⁵ Entretanto, o Criador Supremo conta com a ação de Espíritos crísticos, entidades angélicas que, por meio do processo de cocriação em plano superior, mantêm a união dos dois princípios elementares e a intermediação do fluido cósmico, favorecendo as contínuas combinações e recombinações da matéria sob a atuação direcionada do princípio inteligente:

Essas Inteligências gloriosas tomam o plasma divino e convertem-no em habitações cósmicas, de múltiplas expressões, radiantes e obscuras, gaseificadas ou sólidas, obedecendo as leis predeterminadas […].⁶

A partir dessa união, a evolução prossegue em ambas as dimensões da vida, ao longo dos milênios, fazendo surgir a grandiosa diversidade de matéria e de seres vivos por automatismo e mutações biológicos, culminando com a humanização do princípio inteligente e consequente surgimento do ser humano na face do planeta. À altura desse aprendizado, importa destacar dois pontos: a) há moradas no Universo que escapam totalmente aos senti[1]dos humanos e às tecnologias existentes, como esclarecem Espíritos orientadores: “[…]

Mas a matéria existe em estados que vos são desconhecidos. Pode ser, por exemplo, tão etérea e sutil que nenhuma impressão vos cause aos sentidos.

Contudo, é sempre matéria, embora para vós não o seja”;⁷ b) a vida na dimensão extrafísica é a preexistente, o que nos leva à conclusão de que todo conhecimento humano do planeta, do passado, presente e futuro procede daí, sejam as pequenas ou as grandes ideias que constituem a Filosofia, a Ciência/Tecnologia e a Religião da cultura terráquea.

A despeito de o elemento material estar presente em ambas as dimensões da vida e representar o seu componente estrutural, diz-se, por convenção, que matéria é tudo aquilo que tem massa e volume e ocupa lugar no espaço. Para o Espiritismo, a matéria é necessária para a atuação do Espírito, mesmo que ele viva em planos muito sutis da dimensão espiritual:

“A matéria é o laço que prende o espírito; é o instrumento de que este se serve e sobre o qual, ao mesmo tempo, exerce sua ação.”⁸

Toda matéria é composta por moléculas e átomos unidos e ordenados de diferentes formas, o que lhe garante propriedades específicas, assim como também há as propriedades gerais, que são aquelas que se aplicam a todo tipo de matéria.⁹ Molécula é um conjunto de átomos, iguais ou diferentes, unidos entre si por ligações químicas (covalentes). Os átomos, bem menores que as moléculas e considerados a unidade básica da matéria, são formados por um núcleo central/atômico de carga elétrica positiva – constituído das partículas prótons e nêutrons –, envolvido por uma nuvem de partículas de carga elétrica negativa denominadas elétrons. Os elétrons estão ligados ao núcleo atômico por meio da força eletromagnética. Os átomos se organizam e formam moléculas, as moléculas se unem e formam matérias de diferentes tipos e dimensões.

A matéria pode ser formada por um mesmo tipo de átomo, sendo denominada substância, ou pode ser formada por dois ou mais átomos, configurando uma mistura.

Na ilustração que compõe as páginas 6 e 7 temos: a) a molécula da água, que é constituída de dois átomos de hidrogênio e um átomo de oxigênio; b) a imagem de um átomo.

As ações da mente humana em qualquer plano existencial indicam o nível de conhecimento intelectual e moral alcançado, condição que caracteriza a classificação das dimensões da vida em superiores e inferiores, uma vez que entre esses dois extremos há uma gama, quase infinita, de processos evolutivos, decorrentes do grau de conhecimento e das consequências morais, boas ou más, dos seus habitantes.

Emmanuel pontua:

A mente é o espelho da vida em toda parte.

[…]

Nos seres primitivos, aparece sob a ganga do instinto, nas almas humanas surge entre ilusões que salteiam a inteligência, e revela-se nos Espíritos aperfeiçoados por brilhante precioso a retratar a Glória Divina.¹⁰

A antimatéria

Antimatéria é o inverso do que se entende por matéria. Ela é composta de antipartículas que possuem as mesmas características de massa e rotação das partículas da matéria, mas com carga elétrica contrária. Por exemplo, na matéria temos o elétron, partícula de carga negativa. Na antimatéria temos pósitron, igual ao elétron, porém a sua carga elétrica é positiva. Da mesma forma teríamos o próton e o antipróton etc.

As informações sobre a existência da antimatéria não são recentes. Em 1928, o físico teórico britânico Paul Adrien Maurice Dirac (1902–1984) elaborou uma equação que leva seu nome. Esta equação tornou possível antever a existência dos pósitrons e, portanto, a existência da antimatéria.

Atualmente, há diferentes estudos relacionados à matéria e antimatéria, constituindo-se um dos maiores desafios da Física, a ponto de alguns cientistas canadenses afirmarem que o nosso Universo pode ser o “espelho” de um universo de antimatéria, que se estende no tempo antes do Big Bang.

Tal concepção necessitaria ser, efetivamente, atualizada, pois, segundo os modelos cosmológicos atuais, o Universo explodiu há cerca de 14 bilhões de anos e, desde então, expandiu-se e levou à formação progressiva de partículas subatômicas, átomos, estrelas e planetas. A atualização do modelo cosmogônico somente acontecerá quando os estudiosos conseguirem explicar a aparente assimetria que há entre matéria e antimatéria. Especula-se, inclusive no meio científico, sobre a existência de lugares no Universo constituídos apenas por antimatéria. De qualquer forma, as pesquisas e estudos relacionados à antimatéria têm avançado e devem prosseguir por todo o século XXI e além: em 1995, foram produzidos antiátomos de anti-hidrogênio.

Em 2011, uma colaboração, que reuniu 584 cientistas e que contou com físicos da Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), produziu, no Laboratório Nacional Brookhaven (EUA), antinúcleos de hélio, formados por dois antiprótons e dois antinêutrons, a porção de antimatéria mais pesada já produzida.¹¹, ¹²

A questão da antimatéria conduziu a Ciência à teoria dos universos paralelos e/ou múltiplos, também conhecida como multiverso.

Segundo essa concepção científica,

O […] que chamamos de nosso Universo é meramente uma parte de algo infinitamente maior – um “multiverso” – onde todas as permutas possíveis de eventos e condições existem. Um número infinito desses universos paralelos é inteiramente diferente do nosso, e neles dominam outras leis da física. No entanto, um número também infinito deles apresenta condições para que a vida surja. Embora todos os universos paralelos estejam além dos meios convencionais de comunicação, muitos cientistas acreditam que a presença deles se revela em efeitos sutis, como padrões de interferência criados até mesmo por um fóton de luz ou por partículas subatômicas […].¹³

Há, portanto, um vasto campo de conhecimento a ser explorado, mas, ao conjugar essas informações às ideias espíritas, podemos especular:

• Os vários níveis evolutivos da dimensão extrafísica ou espiritual, povoados de Espíritos e outros seres vivos, que vivem em suas cidades/colônias de pequeno, médio e grande porte, não poderiam ser categorizados como universos paralelos?

• Seriam os universos paralelos habitações físicas, propriamente ditas?

• Os universos paralelos seriam, na verdade, antiuniversos, construídos por antimatéria?

Não temos como responder a tais indagações, por ora. Mas algumas informações são paulatinamente transmitidas por orientadores espirituais. Entre elas destacamos: as duas dimensões, a espiritual e a física, interagem continuamente, resultando a produção de fenômenos usuais, observáveis na Natureza, e outros, nem sempre percebidos, mesmo pela mais adiantada tecnologia desenvolvida no planeta, mas que podem ser captados por percepção extrassensorial. A propósito, o benfeitor Manoel Philomeno de Miranda transmite-nos um esclarecimento que, naturalmente, nos conduz a reflexões mais aprofundadas, quando ele assinala a existência não só da antimatéria, mas também de antipartículas psíquicas:

Em aditamento ao enunciado que assevera que os Espíritos interferem nas vidas hu[1]manas, afirmamos que esse intercâmbio é resultado da ressonância que se exterioriza dos fulcros pensantes do ser na transitoriedade carnal.

Interagem as vibrações que são exteriorizadas pelos homens e pelos Espíritos, retornando como partículas de psicotrons dirigindo-se ao epicentro gerador de energias. Esse retorno caracteriza-se pela intensidade do campo vibratório atravessa[1]do pela onda de que se faz veículo, facultando o processo de intercâmbio na faixa em que se situa […].¹⁴

Ante tais esclarecimentos, podemos deduzir que, assim como há os pósitrons, a antimatéria ou antipartículas dos elétrons, temos também as antipartículas psíquicas denominadas psicotrons, que se manifestam na dimensão extrafísica da vida, mas que interagem com os processos de ideação que corriqueiramente ocorrem em nossa dimensão física. Assim, se o elétron é uma partícula atômica que em nossa dimensão existencial tem carga negativa e o pósitron é a sua antipartícula que, em outra dimensão, tem carga positiva, apesar de ambos terem a mesma massa, deve acontecer o mesmo em relação aos psicotrons e as partículas psíquicas da nossa dimensão: têm cargas elétricas diferentes, mas a mesma massa.

REFERÊNCIAS:
¹ KARDEC, Allan. O livro dos espíritos. Trad. Evandro Noleto Bezerra. 4. ed. 9. imp. Brasília: FEB, 2020. q. 17 a 28.
² ._________. _________. q. 27.
³ ._________. _________.
⁴ XAVIER, Francisco C.; VIEIRA, Waldo.Evolução em dois mundos. Pelo Espírito André Luiz. 27. ed. 13. imp. Brasília: FEB, 2020. 1a pt., cap. 1 – Fluido cósmico, it. Plasma divino.
.._________. _________. .
.._________. _________. . it. Cocriação em plano maior.
⁷ KARDEC, Allan. O livro dos espíritos.Trad. Evandro Noleto Bezerra. 4. ed. 9. imp. Brasília: FEB, 2020. q. 22.
.._________. _________. . q. 22-a.
⁹ MATÉRIA. Disponível em: https://mundoeducacao.uol.com.br/quimica/materia.htm Acesso em: 30 jan. 2021.
¹⁰ XAVIER, Francisco C. Pensamento e vida. Pelo Espírito Emmanuel. 19. ed. 4. imp. Brasília: FEB, 2016. cap. 1 – O espelho da vida.
¹¹ VIEIRA, Cássio Leite. Artigo: Antimatéria pesada. In: Ciência hoje. Instituto de Ciência Hoje. 28 set. 2020.
¹² ANTIMATÉRIA. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Antimat%C3%A9ria#:~:text=Em%201928%2C%20o%20f%C3%ADsico%20te%C3%B3rico,portanto%2C%20a%20exist%C3%AAncia%20da%20antimat%C3%A9ria.&text=Atualmente%2C%20a%20assimetria%20aparente%20entre,problemas%20sem%2 Acesso em: 30 jan. 2021.
¹³ MATHEW, Robert. 25 grandes ideias: como a ciência está transformando nosso mundo. Trad. José Gradel. Rio de Janeiro: Zahar Editora, 2008. cap. 24 – Universos paralelos, p. 215.
¹⁴ FRANCO, Divaldo P. Mediunidade: desafios e bênçãos. Pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda. 1. ed. lvador: LEAL, 2019. cap. 5 – Conceito equivocado, it. Mediante a sintonia, p. 52.