Revista Reformador

A bandeira e o foco

“[…] A bandeira que desfraldamos bem alto é a do Espiritismo cristão e humanitário, em torno da qual já temos a ventura de ver tantos homens reunidos, em todas as partes do globo, por compreenderem  que aí está a âncora de salvação, a salvaguarda da ordem pública, o sinal de uma Nova Era para a Humanidade. Convidamos todas as Sociedades Espíritas a colaborarem nessa grande obra. […]”

Esta convocação de Allan Kardec, em O livro dos médiuns, capítulo 29 – Reuniões e Sociedades Espíritas, item 350, Rivalidade entre as Sociedades, abriga profundos significados que merecem reflexão e entendimento para melhor compreender-se a união e a unificação tão desejadas e permanentemente almejadas por todos os espíritas sinceros.

A nossa bandeira é o Espiritismo cristão, o nosso foco, consequentemente, é Jesus, o Cristo de Deus, o centro de todas as coisas, a razão de tudo, o Governador do planeta, o Modelo e o Guia da Humanidade.

Somente com Ele poder-se-á construir um mundo melhor, um mundo de paz, uma Nova Era para a Humanidade. Suas palavras foram, são e serão roteiro seguro, porque são palavras de Vida Eterna, conforme Ele mesmo anunciou.

Seus exemplos marcaram para toda a eternidade a maneira correta de aplicar-se na vida as Leis Naturais, Divinas, em obediência ao Pai, o Criador, à consciência lúcida e ao coração puro e resignado.

Nestes dias de convocação ao testemunho cristão, “[…] os que não se contentam em admirar a moral espírita, mas a praticam e aceitam todas as suas consequências […]” (O livro dos médiuns, cap.

3 – Método), encontram-se diante de uma oportunidade singular, na presente reencarnação: a de participar de um momento histórico, ímpar, na evolução dos povos, de contribuir, efetivamente, para a melhoria da Humanidade, enfrentando o grande desafio de conviver com o mal sem com ele sintonizar- se.

É momento de testemunhar o saber adquirido, de trabalhar, de pensar positivamente, com júbilo, esperança, confiança, de dedicar o tempo a atividades úteis, de vigiar os pensamentos, ações e atos, de realizar tudo em conformidade com as Leis Divinas, de praticar sempre o Bem, de vencer as próprias imperfeições.A bandeira é a do Espiritismo cristão e humanitário, o foco é Jesus; resta apenas seguir a convocação exarada por Allan Kardec: desfraldá-la e ter-se a ventura de ver tantos homens reunidos em torno dela, em todas as partes do globo, seguindo Jesus, o Cristo de Deus, que, pacientemente, ativo e no leme, aguarda que todos o sigam.

//////////////////
Fonte: KARDEC, Allan. O livro dos médiuns. Trad. Evandro Noleto Bezerra. 2. ed. 1. imp. Brasília: FEB, 2016.