Revista Reformador

Allan Kardec, apóstolo do
Espírito de Verdade

“[…] Estou convosco e meu apóstolo vos instrui
[…]” – O Espírito de Verdade (Paris, 1861).¹

Em 3 de outubro de 1804, nascia em Lyon, França, Hippolyte Léon Denizard Rivail, mais tarde notabilizado como Allan Kardec, missionário que trouxe a lume o outro Consolador Prometido por Jesus. Perante a missão de desvelar o Mundo Espírita, utilizou-se, de forma exemplar, do bom senso e da prudência que lhe eram peculiares e, no curto espaço de quatorze anos, 1855 a 1869, trabalhou arduamente para codificar a Doutrina Espírita, um extraordinário legado para a Humanidade, uma ciência nova, que veio instruir os homens e realizar o que Jesus disse do consolador prometido, revelando a natureza do homem, donde veio, para onde vai e por que está na Terra.

Allan Kardec, juntamente com os imortais, abriu uma era nova em que a fé raciocinada alicerça a compreensão do Mundo Espírita. Exemplo de tenacidade, bom senso, perseverança, confiança, fé inabalável, foi sempre coerente com sua consciência, sem tergiversar, um momento sequer, durante seu trabalho missionário. Apóstolo do Cristo, de estatura moral tão elevada que o credenciou para a missão de legar à Humanidade o que fizera Jesus há dois mil anos, e relembrar que, acima de todos e de tudo, reina o Deus Bom e Misericordioso.

Ocupou-se de realizar sua missão com zelo e perseverança, sempre assistido pelos Espíritos Superiores, por tratar-se de um trabalho de ambos os planos da vida. A caridade foi sua bandeira perante os impropérios, caluniadores, críticos, contraditores, dissidentes encarnados e desencarnados.

Enfrentou todos os desafios crendo em Deus e confiando no amparo dos Espíritos Superiores que o assistiam. Foi com perseverança e confiança que venceu os espinhos e as pedras do caminho, legando seu testemunho exemplar aos espiritistas para prosseguirem na construção do edifício sobre a base inabalável da Codificação.

Neste mês de outubro, que assinala o nascimento do Apóstolo do Cristo, que veio ao mundo para nos instruir, louvamos a Deus pela Doutrina Espírita por ele codificada e que resgata a pureza do Evangelho de Jesus e cumpre a promessa do outro Consolador.

Louvado sejas, Allan Kardec, nas esferas luminosas em que te encontras! Pois o Espiritis[1]mo tem sido, cada vez mais, compreendido e propagado por toda a Terra, dissipando som[1]bras, esclarecendo mentes e consolando os corações aflitos.

REFERÊNCIA:
¹KARDEC, Allan. O evangelho segundo o espiritismo. Trad. Guillon Ribeiro. 131. ed. 14. imp. (Edição Histórica).