Revista Reformador

Pensamentos espíritas

Casimiro Cunha (Espírito)

Toda a esperança da fé,
Que vive com a caridade,
É realizada no mundo
Da eterna felicidade

A palavra que reténs
É tua serva querida,
Mas aquela que te foge
É dona da tua vida

Todo suicida presume
Que a morte é o fim do amargor,
Sem saber que o desespero
É porta para outra dor.

Quem sofre resignado,
Após a morte descansa;
Quem luta, sem naufragar,
Verá decerto a bonança

Quem tem a flor da humildade,
Medrando no coração,
Tem o jardim das virtudes
Da suprema perfeição.

Volve ao Céu todo piedoso,
Coração que andas ferido!…
Deus cura todas as chagas
Do mal que tens padecido.

 ¹N.R.: XAVIER, Francisco C. Parnaso de além-túmulo (Poesias mediúnicas). 19 ed. 4. imp. Brasília: FEB, 2016.