Revista Reformador

Sonido certo

“Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha?”
Paulo (I Coríntios , 14:8)

Como todo instrumento musical, a trombeta emite sons variados que, conforme a convenção, indicam ações a serem empreendidas.

O sonido certo é sempre aquele que convoca a ações coerentes com as Leis Divinas, únicas verdadeiras e capazes de impulsionar os ouvintes a discernirem o que fazer e o que não fazer, conduzindo-os sempre à felicidade.

O sonido certo já foi dado, há dois mil anos, pelo Guia e Modelo da Humanidade, Jesus, o Cristo de Deus, e o som de sua trombeta é suave, porém, desafiador, porque convida os que desejam se alistar num Exército diferente, à grande batalha, cujas armas não são as tradicionais, que destroem, que levam ao confronto, à luta, à beligerância. Trata-se, então, de um alistamento para se aprender a amar, de um Exército que capacita seus elementos a vencerem a si mesmos, a praticarem a caridade com as armas da benevolência, da indulgência e do perdão incondicional.

O sonido certo tem, no Evangelho de Jesus, seu acorde, sua partitura e sua única música: a Caridade.

Quando Paulo afirma: “se a trombeta der sonido incerto…”, ele alerta para um ponto de atenção, porque a trombeta do Bem não dá sonido incerto, exara somente o som do Amor em suas infinitas tonalidades. No entanto, as trombetas de sonidos incertos estão, a todo instante, emitindo sons para desviar os soldados do Bem às batalhas de confrontos, de lutas, de divisões, e de conquistas dos poderes fugazes.

O sonido certo é único, inconfundível, mas precisa ser conhecido, meditado, sentido e vivido. Para isso há necessidade de atenção e discernimento, porque o seu convite é para a batalha íntima a ser travada consigo mesmo pelo autoaperfeiçoamento com base no código de conduta oferecido pelo Evangelho, hoje, à luz do Espiritismo.

Avante! Porque o sonido certo aponta para o Caminho, a Verdade e a Vida e, há mais de um século, vem anunciando, aos que têm ouvido de ouvir, uma Nova Era para a Humanidade.