Revista Reformador

O Sol de nossas vidas

(Mensagem mediúnica)*

Jesus, meus filhos, é o Sol que ilumina as nossas vidas, cujos raios miríficos prolongam-se para todas as consciências e corações humanos. Não podemos nos colocar nas cavernas internas, refugiando-nos indefinidamente em crises de medo e de indiferenças. Convocamos-vos, não como bandeirantes que, na busca do tesouro, devastaram e levaram ao morticínio, mas como pomicultores que cingem a terra e ferem o solo rochoso, com o objetivo de fecundar a semente que dará frutos de 30, 60 e 100 por um. Em cada coração que se abre, sob a luz desse Sol

radiante, muitos são acolhidos, amparados e socorridos. A Terra, que se apresenta sob a condição de aflições, porque seus filhos sofrem pelo imperativo do egoísmo, está a esperar de nós a posição daqueles que o Senhor enfatizou no Sermão Profético, os corajosos e persistentes na vivência dos preceitos do Evangelho, conduzindo a vida como cristãos. O princípio das dores, já instalado, não pode ser levado à conta de finitude. Temos que entender que estes momentos, meus filhos, como previu o Senhor, servem para que todos sejamos experimentados e estimulados a demonstrar as nossas posições, os nossos hábitos, os nossos pensamentos no caminho da boa moral. Não é tempo de julgamento ou avaliação; é o tempo do Senhor.** Os mártires e discípulos do passado retornam à carne, alguns já em vida física, outros em perspectivas de nascimento, para que os dias de regeneração sejam coroados pelos princípios do bem. Será a ajuda prometida, a vinda do Senhor, pois demonstrarão ainda, em sacrifícios e renúncias, o que o Senhor quer que seja promovido. Bem-aventurados aqueles que o Senhor, quando vier, encontrar em serviço. Convocamos todos os corações espíritas ao serviço.

Se o exterior, se o mundo vos apresentar a vida fria e distante, comportai-vos com a bandeira de união, precedida de fraternidade e de indulgência, pois aqueles que perseverarem até o fim serão presenteados com dias melhores. O Senhor, meus filhos, graças à sua misericórdia, permite que assim seja ao conjunto, um exemplo que ajudará o esforço individual de cada um. A massa não mais será a do orgulho e do egoísmo ignóbil, mas a dos servidores do Senhor. Entendemos que o caminho precisa ser respeitoso, conforme a possibilidade individual de crescimento, de evolução espiritual, mas precisamos deixar pontuado que a crisálida, em aparência de ouro, guarda a vida plena e, fechado o ciclo, a borboleta alça os voos previstos pela sua natureza. Por isso, claro está que somos espécies de borboletas que nos encontramos em casulos, esperando que a essência do amor de Deus, que dormita em nós, brilhe potente e impressionantemente, assinalando a sua origem divina. Estamos certos de que os dias de hoje e os de amanhã, embora indicados por muitos como o apocalipse final, são dias de libertação e crescimento. Meus filhos, tudo estará conforme nos comportemos, pelos caminhos dos nossos pensamentos e corações.

A maior e mais importante referência de que dispomos ainda persiste: o amor incondicional. Estai sempre confiantes e sede aqueles que preferem amar. Que o Senhor de bênçãos vos abençoe, que o Senhor de luz vos ilumine. Muita paz! Do vosso irmão, servidor humílimo e paternal de sempre, Bezerra.